O Supremo Conselho de Juízes e Promotores (HSYK), o principal órgão judicial da Turquia, demitiu 107 juízes e procuradores por supostas ligações ao movimento Gülen, acusado pelo governo de planear uma tentativa de golpe no dia 15 de julho.

A decisão para a expulsão os juízes e promotores foi feita na Assembleia Geral da HSYK na sexta-feira.

O vice-presidente do HSYK, Mehmet Yılmaz, disse à imprensa turca que, com estas últimas demissões, eles chegaram ao fim das listas nas quais eles estavam a trabalhar.

“Esta lista é a última. As listas em que estamos a trabalhar chegaram ao fim. Não temos mais ninguém para demitir. Se recebermos mais queixas no futuro, começaremos a trabalhar nelas”, disse Yılmaz.

O ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdağ, anunciou no dia 10 de novembro que o HSYK havia expulsado 3.456 juízes e promotores por supostas ligações ao movimento Gülen desde a tentativa de golpe.