Tragédias humanas da purga na Turquia

Gokhan Acikkollu

Gokhan Acikkollu

Professor de ensino secundário

Gokhan foi detido no dia 23 de julho de 2016 como parte da repressão pós-golpe da Turquia. Embora sofresse de diabetes, foi-lhe negado o acesso aos seus médicos por seis dias. Após 13 dias sob custódia, Gokhan foi encontrado morto na sua cela na prisão no dia 5 de agosto.
Hacı İsa Sezek

Hacı İsa Sezek

Cidadão de 83 anos

Haci Isa Sezek, de 83 anos, preso sob acusação de “pertencer a uma organização armada” no dia 3 de janeiro de 2017, está  a ser mantido na mesma cela que o seu neto de 29 anos, Suleyman Sezek.
Mustafa Torer

Mustafa Torer

Empresário

Mustafa estava entre as 45 mil pessoas que sofreram uma enorme repressão na Turquia após a tentativa de golpe. Foi levado para a prisão de Iskenderun, sob stress e trauma graves. Mustafa, que já sofria de diabetes, morreu de um ataque cardíaco.
Bilal Konakçı

Bilal Konakçı

Especialista em desarmamento de bombas

Bilal Konakci, um ex-especialista em desarmamento de bombas, que se aposentou depois de ter perdido a mão direita e os dois olhos ao tentar desarmadilhar uma bomba em 2009, foi detido no dia 20 de dezembro de 2016, por ligações ao Movimento Gulen.
Furkan D.

Furkan D.

Paciente de 12 anos com cancro

Furkan, de 12 anos, morreu de cancro no cérebro vários meses após agentes da fronteira turca retirarem os passaportes dos seus pais no aeroporto de Istambul Ataturk, fazendo com que a família tivesse de abandonar os seus planos para receber tratamento contra o cancro em Cuba.
5 crianças

5 crianças

5 crianças

Um vídeo partilhado no dia 23 de janeiro de 2016 na média social mostrou cinco crianças deixadas sozinhas em lágrimas em frente à prisão de Sincan, em Ancara, depois de a sua mãe ter sido detida enquanto eles estavam a visitar o seu pai na prisão.
Filiz Y.

Filiz Y.

Mãe de 30 anos

Filiz Y., uma mulher de 30 anos que deu à luz no Hospital da Cidade de Mercin no dia 6 de fevereiro de 2017, foi detida nas primeiras horas do dia 7 de fevereiro, por supostas ligações ao Movimento Gulen.
Yavuz Bölek

Yavuz Bölek

Chefe de polícia detido

Yavuz Bolek, um chefe de polícia demitido do seu cargo após investigações de corrupção que envolviam Erdogan, sofre de cancro e brevemente ficará paralisado se não for atendido. As suas súplicas são ignoradas
Share This