A agência estatal de notícias Anadolu informou que o governo turco emitiu dois novos decretos de emergência, conhecidos como KHKs, que despediram 3.974 pessoas de instituições do Estados, ao mesmo tempo em que proibiam programas de “casamento” na TV.

De acordo com o relatório, 14 associações foram fechadas, mas a cinco foi autorizada a reabertura. Da mesma forma 731 pessoas que foram previamente demitidas, foram autorizadas a regressar aos seus postos.